Jesus homossexual apresentado na peça faz vereadora sugerir que façam isso com Maomé

A peça apresentada pela atriz travesti Renata Carvalho onde se apresenta Jesus homossexual, ja foi barrada pela justiça em várias cidades Brasileiras.

Jesus homossexual apresentado na peça ¨justiça¨, tem revoltado muitos cristãos, e sido palco de intervenção da justiça. Barrada em vários estados da Brasileiro, Jesus colocado na condição de gay, tem dado o que falar.

Em Salvador, Bahia, a vereadora evangélica Lorena Brandão (PSC), rebateu a atriz travesti Renata Carvalho, que interpreta um Jesus homossexual na peça “Rainha do Céu”, que afirmou que o espetáculo “fala sobre amor, perdão, tolerância”.




Lorena sugeriu aos produtores, em nota, que façam uma apresentação na qual a personagem principal seja um Maomé travestido. A vereadora que é advogada e ligada à Igreja Batista, disse que patrocinaria com o seu próprio dinheiro uma apresentação na França. Este país é onde está “concentrada a maior população árabe fora da Arábia”.

Em 2015, a sede do jornal francês Charlie Hebdo foi alvo de ataques que deixou 12 pessoas mortas, após a publicação de uma imagem que satirizava Maomé na capa da publicação.

“Não é questão de intolerância, é questão de respeito mesmo. Um absurdo esta peça está sendo apresentada. Sugiro que a produção do ‘Rainha do Céu’ fizesse algo parecido com Maomé, pois eu, Lorena Brandão, irei patrocinar com meu dinheiro e botar para que a peça fosse apresentada na França, onde está concentrada a maior população árabe fora da Arábia. Gostaria de saber como a população iria se sentir com tamanha falta de respeito com uma liderança religiosa. Isso é crime, é um atentado contra a religião, e a nossa Constituição prevê isso”, atacou a vereadora.



 Renata Carvalho, protagonista de Jesus homossexual ¨ Rainha do Céu¨, apresentado na peça acredita na perpetuação do preconceito a classe em questão.

“Jesus já foi representado como homem branco, como homem negro, mulher negra, como criança. Ele pode ser tudo, menos travesti”, disse.

De acordo com a com a atriz, todo movimento e alegações dos conservadores é apenas moda que enche o saco.

¨Antes da proibição em Jundiaí já acontecia, mas depois da repercussão dela, em todas as cidades houve denúncias. Virou moda e isso é um saco, viu?¨ finalizou.

Informações: Bahia.ba






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *