Notícias Gospel

Viúva de 85 anos recebe ordem de despejo por evangelizar

A idosa foi forçada a deixar o apartamento por estar se oferecendo para orar pelos vizinhos.

 

A viúva Diana Martin, de 85 anos, foi obrigada a deixar o apartamento onde morava a força. Segundo a CBN News, o motivo teria sido o fato dela compartilhar sua fé cristã e orar por seus vizinhos e orar por eles.

Ela já estava morando há quase 14 anos no Windgate Village Apartaments, localizado na cidade de Hanford. Tudo corria bem até que, em fevereiro desse ano, a idosa recebeu uma ordem inesperada de despejo do proprietário do imóvel John Draxler, que também atua como vice-prefeito da cidade.

A viúva não entendeu o a atitude de Draxler, uma vez que o aluguel estava devidamente pago e o contrato ainda se encontrava dentro do prazo. Com isso, a senhora começou a chorar e disse para ele que não tinha crianças morando perto dela e que era período de inverno. Entretanto, o desespero da idosa não foi suficiente para mudar a decisão do proprietário, que disse pra ela que isso não seria problema dele.

De acordo com as informações passadas pelo Instituto de Justiça do Pacifico (PJI), O Dono do imóvel explicitou as atividades religiosas da Senhora como motivo do despejo. Segundo ele, idosa estaria compartilhando sua fé e se oferecendo para orar pelas pessoas e por isso, teria que procurar outro lugar para morar. Além disso, em uma conversa com o filho da senhora, John Draxler reafirmou o motivo religioso e ressaltou a idade da idosa. Entretanto, ela teria se mudado para o apartamento justamente por ter sido apresentado a ela como uma residência para idosos, o que também não justificaria as atitudes do vice-prefeito.

Segundo os advogados da PJI, as razoes pela qual Martin foi despejada de seu lar foram altamente discriminatórias. Além disso, Draxler teria feito isso no prazo errado. Portanto, eles entraram com um processo por discriminação no Departamento de emprego e Habilitação da Califórnia.

“Ninguém deve ser despejado com base em sua expressão religiosa, especialmente uma bisavó idosa. Estamos esperançosos que, com uma investigação do Estado e medidas corretivas, isso não aconteça com mais ninguém nesta comunidade”, afirmou o advogado da PJI, Matthew McReynolds, em um comunicado à imprensa.

“Espero que todos nós possamos ser combativos se alguém tentar tratar nossas mães, avós ou bisavós dessa maneira”, acrescentou.

 

 

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo