Na China, igrejas foram obrigadas a cederem seus templos para uso do governo.

Algumas foram inclusive fechadas

Pressionando as congregações a assinar “acordos de doação” de seus prédios onde as igrejas atuam, autoridades da China estão tentando apresentar aquisições coagidas como se fossem “legítimas”.

O foco do Partido Comunista Chinês (PCC) é diminuir em grande escala a quantidade de templos para fazer com que o cristianismo seja suprimido e eliminado.

Além das demolições forçadas dos templos, as autoridades inclusive estão reaproveitando e convertendo de maneira impassiva igrejas em locais de entretenimento ou “legalmente” realizam a ocupação mediante as doações forçadas, com isso tornando os locais os escritórios do governo.

Em novembro do ano de 2018, o Departamento de Assuntos Religiosos do condado de Qishan, sob a jurisdição da cidade de Baoji, na província noroeste de Shaanxi, removeu de forma bruta a cruz de uma igreja católica localizada na vila de Luojiazhuang, relatando que o prédio seria uma “construção ilegal” e incluiu a igreja na lista de demolições.

No mês de abril, o governo local modificou seu plano e resolveu fazer conversão da igreja para um centro de atividades culturais e esportivas.

Esperando conseguir salvar a construção, a pessoa responsável pela igreja foi imposta a consentir.

Depois a igreja sofreu alterações: os azulejos de cor vermelha no telhado foram pintados, nas paredes externas de cinza e de amarelas – brancas; a janela foi modificada para uma forma quadrangular.

Passaram a ser exibidos nas paredes externas cartazes com os principais valores socialistas e outros slogans de teor político, e também uma placa escrita “Centro de Atividades Esportivas e Culturais dos Aldeões” foi inserida.

O altar foi demolido. Então, foram colocadas algumas mesas para as pessoas poderem jogar tanto o pingue-pongue como o xadrez chinês. Cartazes eram pregados nas paredes da área interna, contudo, impulsionando entretenimento chinês, como por exemplo, a pintura e a caligrafia ou tocando instrumentos e jogos oriundos da China.

Etiquetas
Comentários

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Botão Voltar ao topo