IgrejaJustiçaMundoPastorPolêmicas

Pastor da Universal é agredido e vai parar no hospital


O pastor Israel da Silva Gonçalves, de 52 anos, foi agredido numa rebelião feita por ex-pastores da Igreja Universal em Angola.

Israel, que atua na igreja como pastor a 34 anos , se viu em apuros na manhã desta segunda-feira(22), quando recebeu o comunicado que a igreja do Morro Bento, em Luanda, estava sendo invadida, e decidiu ir até o local.

Ao chegar a igreja, percebeu que haviam de 30 a 40 homens que já haviam feito parte da instituição, estavam passivos, calmos, conversando entre si, até que uma equipe de TV chegou ao local, e começaram as agressões físicas e verbais.

“Nós, responsáveis pela igreja, estávamos em cinco pessoas, e nos dirigimos para ver do que se tratava. Quando os invasores nos viram mudaram de atitude, da passividade para a agressividade, gritando que não podíamos impedir as gravações”, lembra o pastor.

“Levamos empurrões e deram socos e chutes em nós.”

Muitos dos que estavam com o pastor, conseguiram se defender das agressões e fugiram, porém Israel não teve tanta sorte.

O líder religioso, levou uma pancada na testa, com um porrete, o que o fez desacordar.

Segundo as testemunhas que viram tudo, mesmo desacordado, o pastor continuou a ser agredido no chão com chutes.
O pastor levou cinco pontos no supercílio esquerdo.

“O olho está com sangue coagulado, mas estou enxergando normalmente.
Alguma dor no rosto, na testa e nas costas, mas nada muito grave”, detalha.

“Tomamos conhecimento que a invasão ocorreu em várias unidades da igreja no país, inclusive em uma hoje [terça-feira]. Tentaram na catedral principal de Luanda também, mas não conseguiram”, relatou.

Israel ainda conta que está tenho dificuldades em relação às autoridades do país no caso.

“Estamos bem alerta. E, a princípio, a gente não percebe nenhum tipo de apoio das autoridades locais.”

E também para fazer o boletim de ocorrência da agressão :

“Demoraram muito para me atender mesmo eu estando ensanguentado. Registraram o boletim depois de muito tempo e disseram para eu fazer hoje o que, no Brasil, seria o exame de corpo de delito. Fui lá e o exame foi transferido para amanhã [quarta-feira].”

Via Angola 24 horas

Etiquetas
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar