Mundo

Qual é o significado de ‘Porque Deus amou tanto o mundo’?

Provavelmente o versículo mais conhecido da Bíblia é também aquele que descreve a essência de nosso relacionamento com Jesus: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a eternidade vida ”(João 3:16).

De sinais portáteis em estações de trem ao fundo de xícaras de fast-food e olhos negros de um jogador de futebol, esta mensagem do sacrifício final para nossa salvação final é um chamado universal para adorar Jesus Cristo.

Ao considerar este versículo, freqüentemente nos concentramos em sua segunda metade, que destaca a ligação entre a fé em Jesus e a esperança da vida eterna.

Este artigo explora a primeira metade do versículo, que resume a intensidade do amor de Deus pela humanidade e como esse amor O levou a enviar Seu único Filho para ser torturado e morto por nossa causa.

O amor de Deus por nós é eterno e sacrificial

Nosso vínculo com Deus sempre foi uma história de amor paternal desde o início. Deus criou o mundo e tudo nele por amor, declarando boas Suas criações e abençoando-as (Gênesis 1). Deus mostrou Seu amor pela humanidade em particular nos fazendo à Sua imagem e nos confiando para sermos os guardiões do mundo (Gênesis 1: 27-28).

Enfatizando como era importante para a humanidade viver no amor, o próprio Jesus resumiu toda a Escritura em dois mandamentos sobre o amor: Ame a Deus com todo o seu coração, alma e mente; e ame o seu próximo como a si mesmo. “Toda a Lei e os Profetas”, continuou Jesus, “dependem destes dois mandamentos” (Mateus 22: 34-40).

Expandindo esse tema vinculante do amor, a Bíblia declara de forma simples, mas poderosa, que “Deus é amor” (1 João 4: 8). Quando a Escritura fala do amor de Deus por nós, fala do mais alto nível de amor – ou, ágape amar.

Ágape é a palavra grega para a forma mais elevada de amor. Amor ágape é eterno e sacrificial, dado gratuitamente quer o doador receba ou não o mesmo nível (ou qualquer nível) de amor em troca. Ágape amor é o amor perfeito que Deus demonstrou pela humanidade quando enviou Seu único Filho para ser sacrificado em expiação por nossos pecados para que, através da nossa fé em Jesus, possamos ter a vida eterna.

Deus enviou seu filho para nos salvar por amor a nós

Desde o Jardim do Éden, Deus nos amou. Desde a queda do homem naquele jardim, nós nos rebelamos contra Deus.

Sem dúvida, Deus tem o coração partido pela escolha de Seus filhos ao longo da história de pecar e se voltarem uns contra os outros. Para guiar Seus filhos a Cristo, Deus transmitiu 10 mandamentos e incluiu mais de 600 leis para Seu povo seguir nos primeiros cinco livros do Antigo Testamento.

Essas leis incluíam sacrifícios que o povo poderia realizar para se reconciliar com Deus quando, inevitavelmente, infringisse uma dessas muitas leis. Como o povo da antiguidade provou ser verdadeiro, a esperada obediência da humanidade a centenas de leis do Antigo Testamento se mostrou fútil, pois nossa natureza humana nos inclina para o engano e o egoísmo, e para longe da obediência e do auto-sacrifício (Romanos 8: 7-8).

Deus sabia que essa miríade de leis deixaria uma coisa clara para nós: as pessoas pecariam não importando quantas regras tivessem em mãos para ajudá-las a navegar nas diferentes situações em que se encontrassem.

Essa propensão ao pecado separou a raça humana de Deus e mostrou à humanidade sua necessidade de um Salvador – alguém para nos salvar da condenação das centenas de leis do Antigo Testamento e nos mostrar o caminho para a salvação pela fé.

Sabendo que era o momento certo na história para um intercessor, Deus então enviou Seu Filho Jesus para ser esse Salvador. Jesus nos ensinou um modo de vida novo e mais pacífico, enraizado no amor e na fé Nele como o Messias há muito esperado.

A mensagem do Novo Testamento é que esta fé nos ensinamentos do Messias Ressuscitado e em Sua identidade como Filho de Deus oferece ao homem a salvação perpétua e acaba com a necessidade de sacrifícios sangrentos no Templo. Mas essa salvação teve seu preço para Deus.

Deus viu seu filho morrer por amor a nós

Jesus Cristo libertou a humanidade das garras do pecado pelos chicotes que cravaram em sua pele quando os soldados romanos o chicotearam (João 19: 1). Jesus nos libertou da condenação das leis do Antigo Testamento ao ser espancado, zombado, cuspido e levado a carregar Seu dispositivo de tortura nas costas para o Calvário (João 19: 2-17; Mateus 27: 27-31).

Jesus nos ofereceu a esperança da salvação eterna por Si mesmo, morrendo como um criminoso, pendurado em um poste para morrer lenta e dolorosamente. Deus não apenas observou Seu Filho passar por tudo isso, mas sabia que aconteceria.

Como pai de Jesus, Deus conhecia a angústia física que Jesus sofreria. No entanto, Deus nos amou tanto que desejou que acontecesse. Deus também conhecia a angústia mental que Jesus sofreria no jardim do Getsêmani.

Na verdade, o aspecto humano de Jesus estava tão perturbado com o que O esperava que Nosso Salvador suou sangue enquanto orava para que Deus “tomasse este cálice” Dele (Lucas 22: 41-44). Naquele momento, Deus enviou um anjo para fortalecer Jesus porque era a vontade do Pai que a Crucificação acontecesse por nós, para nossa salvação, apesar do horror que Jesus voluntariamente suportou por causa disso (Lucas 22:43; Filipenses 2: 8).

Tendo como pano de fundo a Paixão de Jesus, as palavras: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu único Filho” assumem uma realidade cristalina e comovente que deveria dobrar os joelhos até mesmo para o crente casual. É assim que se parece o amor perfeito, o amor abnegado e sacrificial em ação.

O que isto significa?

Quando ainda éramos pecadores, Deus enviou Seu único Filho para morrer em nosso lugar para que pudéssemos desfrutar a vida eterna (Romanos 5: 8). Em troca, devemos abandonar o pecado e viver nossas vidas de uma forma que reflita nossa fé em Seu Filho Jesus Cristo.

Nunca podemos fazer nada para merecer o sacrifício incomensurável de Deus (e de Jesus) por nós. Em humilde gratidão, só podemos aceitar a graça de Deus e seguir as instruções de Jesus no evangelho para alcançar a salvação que simboliza como Deus amou o mundo.

Crédito da foto: © iStock / Getty Images Plus / artisteer


Dolores Smyth é um escritor publicado nacionalmente sobre fé e pais. Ela tira inspiração para escrever na vida cotidiana. Conecte-se com ela @LolaWordSmyth.

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Open chat
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do O Buxixo Gospel.