27 C
Palmas
quinta-feira, 21 janeiro, 2021

Pode haver alegria no sofrimento?

Saiba Mais

Dayana Ribeiro da Silva
Dayana Ribeiro da Silvahttps://www.obuxixogospel.com.br/
Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Publicado em:

Ser um ganhador de almas é a coisa mais feliz neste mundo. E com cada alma que você traz para Jesus Cristo, você parece obter um novo céu aqui na terra (CH Spurgeon Sermons, 11.431).

Quando há alegria no coração dos filhos de Deus, há alegria na cidade. A alegria de Jesus transforma pessoas tristes em pessoas felizes.

- Advertisement -

Anos atrás, fui transformado. Quando ouvi o Dr. D. James Kennedy pregar: “Pela graça sois salvos, por meio da fé”, descobri a alegria. Eu nunca tinha conhecido a alegria profunda e duradoura que vem da paz com Deus até aquele momento. Imediatamente comecei a compartilhar alegremente a glória da graça de Jesus Cristo com outras pessoas. Eu experimentei combustão doxológica simultânea. Os pulmões de minha alma foram preenchidos com o rico oxigênio do deleite da Grande Comissão.

Eu já fui um pródigo. Tendo sido criado em um lar que crê na Bíblia e que ama a Cristo e então tendo vivia (dificilmente a melhor descrição desse período) nos campos longínquos da vida quando era um homem muito jovem; então, tendo ouvido falar da graça de Deus por meio de Jesus Cristo (por meio da pregação convincente e autorizada do Dr. D. James Kennedy), aprendi que sou adotado como filho de Deus quando sou regenerado e justificado por Deus em Cristo. Esse evangelho trouxe – e continua a render – alegria inestimável.

Alegria em Sofrimento

Alegria e evangelismo estavam para sempre casados ​​em um dístico divino em minha alma. Alegria e evangelismo foi o que aconteceu quando uma crise irrompeu em Jerusalém nos dias depois que nosso Senhor Jesus ascendeu ao céu. Um terrorista chamado Saulo liderou uma “grande perseguição” contra a assembléia dos santos naquela cidade chamada “santa” – Jerusalém. Então, o povo – não o clero, veja bem, mas as pessoas – estavam espalhadas. Leia o texto e observe como o autor, Dr. Lucas (sob o poder do Espírito Santo), começa com terror e termina com alegria.

Esta é a Palavra inerrante e infalível do Deus vivo.

E Saul aprovou sua execução.

E naquele dia surgiu uma grande perseguição contra a igreja em Jerusalém, e todos eles foram espalhados pelas regiões da Judéia e Samaria, exceto os apóstolos. Homens devotos enterraram Estêvão e fizeram grande lamentação por ele. Mas Saul estava devastando a igreja e, entrando em casa após casa, arrastou homens e mulheres e os entregou à prisão.

Agora, aqueles que estavam dispersos começaram a pregar a palavra. Filipe desceu à cidade de Samaria e proclamou o Cristo a eles. E as multidões unânimes prestaram atenção ao que estava sendo dito por Filipe, quando o ouviram e viram os sinais que ele fez. Pois os espíritos imundos clamavam em alta voz de muitos que os possuíam, e muitos paralíticos ou coxos foram curados. Portanto, houve muita alegria naquela cidade (Atos 8: 1-8).

Há um perigo claro e presente para milhões de crentes em todo o mundo. Irmãos e irmãs estão sofrendo, inimaginavelmente, apenas por causa de sua confissão de fé em Cristo. A Igreja de Jesus Cristo está ameaçada, mas não pode ser derrotada. A Igreja está avançando triunfantemente, dentro do cronograma, através do motivo contínuo da Cruz de Jesus Cristo e Seu modo paradoxal, glorioso e de cabeça para baixo de fazer todas as coisas – mesmo uma cruz romana hedionda e perseguição sem precedentes – trabalharem juntas para o bem ( Romanos 8:28).

A alegria do senhor é minha força

Eu testemunhei o poder transformador de Jesus, meu Senhor, em primeira mão. Ensinei pastores cristãos na Índia que foram espancados, suas famílias atacadas por causa de Cristo. Eles me contaram como suas aldeias estavam sofrendo perseguição e alegria. “Estamos vendo mais pessoas virem a Cristo com um novo incidente de queimar uma casa ou espancar um pobre velho. A alegria veio sobre nossa cidade. ” Eu ouvi as palavras, inclinei a cabeça e perguntei: “Quem é o verdadeiro professor aqui? Ó Deus, conceda-me tanta alegria! ” Estive presente na Europa de Leste quando o “Muro” caiu na Albânia.

Nunca me esquecerei de um ministro levantando sua camisa para me mostrar como são cinco anos de chicotadas diárias. Ele foi espancado em um campo de trabalhos forçados onde foi sentenciado por se recusar a amaldiçoar a Cristo. Surpreendentemente, esse padre magro como um trilho me mostrou os filamentos de tecido de cicatrizes emaranhados em suas costas enquanto sorria um sorriso desdentado de alegria inexprimível. “Tudo por Jesus!”

O padre me seguiu até a praça Skenderbeu, capital de Tirana. Ele me orientou a ficar sobre a cabeça desmoronada de um ditador que declarou que apagaria qualquer vestígio de cristianismo da nação. Os alunos derrubaram a estátua enquanto lutavam pela liberdade. O padre chorou de alegria quando um ministro presbiteriano subiu na cabeça do ditador, o melhor púlpito que já tive, e proclamou “o Evangelho de Deus” a mil ex-cativos do comunismo.

O desígnio diabólico de destruir a Igreja é uma cicatriz abominável na história da humanidade. Raramente justifica até mesmo uma menção no noticiário. No entanto, Deus usa o próprio pecado do homem, a barbárie de uma raça perdida, para fazer o bem.

Uma cidade na colina

Isso é o que aconteceu no texto do capítulo oito de Atos. A assembléia de Jerusalém já havia passado por muito desde que Cristo Jesus foi crucificado, sepultado, ressuscitado e ascendido. Agora o terrorismo se instalou sob um homem louco chamado Saul. O terror criou o que vemos com tanta frequência hoje em nações sob perseguição: a diáspora. Nessa diáspora, algo aconteceu. É nisso que quero focar nesta reflexão.

O que aconteceu quando o povo de Deus foi dispersado de assassinatos e ameaças de assassinato foi evangelismo. Atos 8: 4 é uma das minhas passagens favoritas: “Os que estavam dispersos andaram pregando a palavra”.

O texto nos diz que a diáspora não foi em vão. Na verdade, o terror realmente expulsou os discípulos de Cristo do relativo conforto do lar para os confins do reino romano. Os eventos traumáticos de Jerusalém, em vez de levar as pessoas ao desespero, os levou a compartilhar o evangelho com o mundo. Agora, leia a história de Filipe conduzindo um eunuco etíope à fé e vá com o escritor para a cidade de Samaria, e vá para o final desta seção, para o versículo oito, “Então, houve muita alegria naquela cidade” ( Atos 8: 8).

A tragédia leva à dispersão, leva à pregação – a evangelização – de pessoas comuns e almas são salvas, vidas são transformadas, pessoas são curadas, e a fé do Jesus ressuscitado avançou através das gerações.

O que me lembro da minha própria conversão e do testemunho da perseguição em outras partes do mundo é o seguinte: Deus está construindo sua Igreja e me chamando para fazer parte dela.

Aprendi isso também com meu amigo anglicano do Sudão. Estávamos ministrando juntos na África do Sul. O pastor “K” me contou suas experiências de sofrimento e como Cristo usou suas surras nas mãos de terroristas islâmicos radicais para construir a Igreja de Cristo. Ele contou como foi capaz de pregar o evangelho apenas por causa do trauma que os seres humanos estavam passando. A Igreja é inflamada, por assim dizer, através do ataque a ela. Isso não é algo pelo qual oramos. É algo em que oramos.

O que isto significa?

Portanto, devo olhar para a tragédia e me lembrar do envolvimento de Deus na humanidade. Ele não está ausente. Ele está lá. Não consigo compreender a profundidade da compreensão do sofrimento humano e da soberania divina e das intenções para o bem. Essas coisas são muito altas para mim. Eu vejo a doutrina. Eu não olho através dele. No entanto, vejo e sei que Deus está envolvido. Isso me faz reconhecer que o Evangelho de Jesus pode ser pregado em meio à tragédia e, de fato, a trajetória para a alegria envolve um primeiro passo necessário para falar de Cristo no meio do trauma.

Oh, Deus, deixe-nos pregar a Cristo enquanto somos dispersos por esta geração, e enquanto avançamos de cabeça no 21st século. Vamos falar as Boas Novas de Jesus Cristo.

Oh, que eu possa ter a paixão pelo evangelismo em meio às provações que meu amigo sudanês tem. Oh, que a oração apaixonada de David Brainerd se torne o compromisso de minha vida como ministro de Cristo:

Não me importa para onde vou, ou como vivo, ou o que sofro para poder salvar almas. Quando durmo sonho com eles; quando eu acordo, eles estão em primeiro lugar em meus pensamentos … nenhuma quantidade de realização escolar, de exposição capaz e profunda de eloqüência brilhante e comovente pode expiar a ausência de um profundo amor compassivo e apaixonado pelas almas humanas.

Então, haverá alegria em meu coração e “alegria na cidade”.

© iStock / Getty Images Plus / CreativaImages


Dr. Michael A. MiltonMichael A. Milton, Ph.D. (Universidade de Gales; MPA, UNC Chapel Hill; MDiv, Seminário Knox) ​​Dr. Milton é um chanceler aposentado do seminário e atualmente atua como Presidente de Missões James Ragsdale em Seminário Teológico Erskine. Ele é o presidente da Fé para viver e a Instituto D. James Kennedy um ministro presbiteriano de longa data, e capelão (coronel) USA-R. Dr. Milton é autor de mais de trinta livros e músico com cinco álbuns lançados. Mike e sua esposa, Mae, residem na Carolina do Norte.

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Advertisement -

Últimas

- Advertisement -

Veja Mais

- Advertisement -
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x