26 C
Palmas
quinta-feira, 21 janeiro, 2021

Qual é a diferença entre graça e misericórdia?

Saiba Mais

Dayana Ribeiro da Silva
Dayana Ribeiro da Silvahttps://www.obuxixogospel.com.br/
Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Publicado em:

Misericórdia e graça são os atributos máximos do amor. A essência da Bíblia é amar a Deus e amar as pessoas através das lentes de Jesus Cristo. Duas grandes obras de Deus mostraram Sua natureza todo-poderosa, graciosa e misericordiosa: a criação e a redenção.

- Advertisement -

Enquanto a obra de criação de Deus demonstrou Seu grande poder, a obra de redenção de Deus revelou Seu amor maravilhoso, demonstrado por meio de Sua misericórdia e graça. Este mesmo amor de Deus é indispensável para a existência da vida e a salvação da humanidade.

“O Senhor é misericordioso e cheio de compaixão; lento para a raiva e de grande misericórdia. O Senhor é bom para todos: e suas ternas misericórdias estão sobre todas as suas obras. ” (Salmo 145: 8-9)

Graça e misericórdia: definições e diferenças

A palavra grega usada para misericórdia é na maioria das vezes eleos (pena, compaixão) e para a graça é Charis(Favor). Misericórdia e graça, conforme parafraseado no Guia da Bíblia de Willmington, podem ser diferenciadas da seguinte forma: misericórdia é o ato de reter a punição merecida, enquanto graça é o ato de conceder um favor imerecido. Em Sua misericórdia, Deus não nos dá o castigo que merecemos, a saber, o inferno; enquanto em Sua graça, Deus nos dá o presente que não merecemos, ou seja, o céu.

Misericórdia e graça são as duas faces da mesma moeda – e a moeda é amor. Nas palavras do próprio autor, a misericórdia é um amor compassivo para com os fracos e a graça é um amor generoso para com os indignos. Os humanos são fracos e indignos – todos nós precisamos da misericórdia e da graça de Deus. A misericórdia nos leva ao caminho do perdão, enquanto a graça nos leva à reconciliação.

Exemplos da graça e misericórdia de Deus na Bíblia

A misericórdia e a graça são freqüentemente consideradas erroneamente como um conceito do Novo Testamento. Mas, na verdade, eles são manifestados em toda a Escritura.

A Bíblia está repleta de histórias de Deus usando pessoas imperfeitas para cumprir Seu propósito. Existem muitos exemplos da misericórdia e graça de Deus no Antigo Testamento. Davi talvez seja o exemplo mais importante: ele foi chamado de “homem segundo o coração de Deus”, apesar de seus grandes pecados. Davi cobiçou, matou e fornicou. Abraão temeu e mentiu, Sara estava impaciente, Jacó era um trapaceiro, Moisés era teimoso e duvidoso, Raabe era uma prostituta e os israelitas se rebelaram muitas vezes contra Deus – mas Deus ainda usou todos eles para cumprir Seus propósitos.

Deus foi fiel e Suas promessas nunca falharam (Êxodo 34: 6, Deuteronômio 4:31, 7: 9, Lamentações 3: 22-23, Números 6: 24-26).

Mais exemplos da graça e misericórdia de Deus no Novo Testamento:

– Saulo era um perseguidor, mas Deus o converteu para se tornar Paulo, o apóstolo de Cristo, autor de quase metade do Novo Testamento.

– Pedro era temperamento e negou Jesus, mas Deus o usou para pregar e cerca de 3.000 foram salvos.

– Thomas duvidava, mas Deus o usou para pregar o Evangelho na Índia e possivelmente na Indonésia (de acordo com as tradições),

– Maria Madalena estava possuída por um demônio, mas Deus graciosamente deu a ela uma chance maravilhosa de ser a primeira testemunha do Cristo ressuscitado.

– Marta estava inquieta, mas Deus também permitiu que ela fosse uma das primeiras testemunhas da ressurreição de Cristo (e de Lázaro, seu irmão).

– Barrabás era um criminoso, mas Deus permitiu que ele fosse libertado em troca de Jesus.

– O ladrão penitente foi perdoado na cruz e prometeu estar no paraíso com Jesus.

Claramente, a Bíblia é o registro de um Deus que repetidamente perdoa os humanos pecadores – e ainda mais, um Deus perfeito que trabalha neles e por meio deles, os vasos quebrados, para seu próprio bem e, finalmente, para Sua glória. A misericórdia e a graça de Deus somente podem salvar e sustentar a humanidade (Tito 2:11, 3: 7, Efésios 2: 4-9, Salmos 103: 1-5, 8).

Se Deus mostrou Seu amor por essas pessoas no passado, Ele deve ser capaz de fazer isso em nossas vidas hoje. Então agora, como respondemos ao amor de Deus?

Respondendo à graça e misericórdia de Deus

1. Reconheça nossas necessidades de graça e misericórdia.

Para abraçar a misericórdia e graça de Deus, precisamos de humildade (Tiago 4: 6, Miquéias 6: 8). Devemos primeiro confessar que todos os humanos são pecadores, ninguém é capaz de atingir o padrão de perfeição de Deus (Romanos 3:23, 5:20), e o mundo em que vivemos está quebrado, então não nos tornamos obcecados por nós mesmos e pelas coisas em este mundo. Ao fazer isso, mudamos nosso foco da centralidade humana para Deus e reconhecemos Sua soberania sobre todas as coisas.

A misericórdia e a graça nos libertam do perfeccionismo, de um coração orgulhoso e rebelde. É somente pela misericórdia e graça do Senhor que podemos viver hoje.

2. Aceite Deus graça e misericórdia.

Existe um profundo desejo da humanidade por liberdade. Naturalmente, as pessoas ficam felizes quando recebem algo bom de graça (por exemplo, quem não gosta de comida de graça?) ​​E, por outro lado, relutam em pagar ou se sacrificar. A boa notícia é que Deus ofereceu Sua misericórdia e graça gratuitamente. O Filho de Deus fez por nós tudo o que precisamos para nossa salvação (Romanos 6:23, Efésios 1: 7). Somos salvos não porque somos bons, mas tudo porque Deus é bom. Ele pagou todo o pagamento necessário para nossa salvação por nós.

Além disso, Deus sabe que não só amamos algo livre, mas também amamos algo Novo. Graças a Deus, por meio da morte e ressurreição de Jesus Cristo, recebemos uma vida nova e santa (1 Pedro 1: 3, 2 Timóteo 1: 8-9) e um grande privilégio de viver para Ele (2 Coríntios 5 : 15). À medida que caminhamos em Seus caminhos, continuaremos a experimentar Sua graça e glória (Salmo 84:11) e encontraremos nossa ajuda em tempos de necessidade (Hebreus 4:16).

3. Conheça nossa identidade em Cristo e compartilhe Seu amor com os outros.

Já éramos filhos da ira por causa de nossos pecados, mas em Cristo, agora nos tornamos filhos de Deus (João 1:12). E como Seus filhos, devemos ser gratos porque nosso Pai é cheio de graça e verdade (João 1:14). Mas não devemos tomar Seu amor como garantido. Devemos crescer em nosso relacionamento com Ele, para conhecê-lo e amá-lo mais.

Seu desejo é que tenhamos misericórdia dos outros (Oséias 6: 6, Mateus 9:13, 5: 7, Lucas 6:36). Visto que o Senhor plantou a semente de amor em nossos corações com Sua graça suficiente, devemos dar mais frutos em nosso trabalho (2 Coríntios 9: 8, 12: 9).

Paulo percebeu a importância de trabalhar arduamente para o Senhor como a resposta apropriada à Sua graça, não como um esforço para ganhar Seu favor (1 Coríntios 15:10). Vamos, portanto, como povo escolhido e amado de Deus, continuar a fazer a boa obra que Ele nos deu (Colossenses 3:12), sermos misericordiosos e misericordiosos em nosso julgamento dos outros (Tiago 2:13) e fazer todas essas coisas em verdade e amor (2 João 1: 3).

Crédito da foto: GettyImages / diego_cervo

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Advertisement -

Últimas

- Advertisement -

Veja Mais

- Advertisement -
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x