Pílula contra o coronavírus entra em fase de teste

Novo remédio contra coronavírus

A Pfizer anunciou que começou a testar a segurança em humanos de uma nova pílula contra o coronavírus que poderia ser usada ao primeiro sinal de doença.

Se for comprovado o sucesso nos testes, a pílula poderá ser prescrita no início de uma infecção para bloquear a multiplicação viral antes que a condição do paciente se agrave.

O medicamento se conecta a uma enzima chamada protease para evitar a replicação do vírus.

Medicamentos inibidores de protease tiveram sucesso no tratamento de outros tipos de vírus, incluindo HIV e hepatite C.

O novo inibidor é o segundo medicamento desse tipo no qual a Pfizer faz testes em humanos como possíveis tratamentos da Covid-19. A companhia está testando outro medicamento administrado por via intravenosa em pacientes hospitalizados.

Se tudo continuar progredindo bem, a Pfizer poderá iniciar um teste mais amplo combinando as fases 2 e 3 já no segundo trimestre. Isso potencialmente abriria caminho para a empresa solicitar ao FDA (Food and Drug Administration, o órgão regulador do setor nos EUA) autorização para uso emergencial até o fim do ano, dependendo da evolução da pandemia.

O teste de eficácia inicial se concentrará em pessoas com infecção inicial, mas a Pfizer também planeja estudar se a droga funciona para proteger pessoas saudáveis que foram expostas ao coronavírus, como membros da família ou pessoas que vivem com alguém que ficou doente.

A Pfizer planeja compartilhar mais dados sobre a droga durante a reunião da Sociedade Química Americana, em 6 de abril.

Comentários