Notícias Gospel

Pocah diz que conselho de pastor quase a fez perder a vida:” Não recomendo”

Pocah revela que era manipulada por ter uma família muito religiosa,e por causa de sua fé, teria que suportar essa situação

A cantora de funk Pocah, escreveu em seu Twitter, nesta sexta-feira(03), que seguindo um conselho de um pastor, perdoou as agressões que recebeu de seu companheiro e quase morreu.

“Já ouvi esse conselho, segui e quase perdi a minha vida. Não recomendo. Quando contei para um pastor que eu estava sendo traída e sendo violentada, ele também disse para eu perdoar, mas complementou: ‘Quando digo perdoar, não significa que vocês precisam ficar juntos. Perdoe porque merece paz”, começou Pocah.

Agressões em nome da fé
 A ex-bbb, contou, em sua participação no programa “Papo de Segunda”, sobre essa relação,que teve muito nova, porém conturbada e agressiva.

A artista participou recentemente do “Papo de Segunda”, do canal GNT, onde falou abertamente sobre a relação tóxica que viveu: “Eu vivi muitos anos com essa pessoa e eu comecei a namorar muito nova. Esse relacionamento, ele é completamente conturbado, era infernal pra mim e pra quem estivesse ao meu redor. Minha família, meus amigos, era terrível e eu via o quanto era tóxico e as pessoas falavam o quanto. Eu tentava de todas as formas me livrar daquilo”.

Manipulação

Além disso,Pocah revela que era manipulada por ter uma família muito religiosa,e por causa de sua fé, teria que suportar essa situação que um dia se tornaria um testemunho de vitória.

“Havia agressões físicas, verbais e psicológicas, manipulação, meu temor a Deus. Sou uma pessoa que tenho uma ligação com Deus muito grande e essa pessoa usava a minha fé. Eu dizia: O que você fez comigo? Eu quase fiquei cega do olho esquerdo’. Era pesado. Em diversos momentos fui agredida, queria ir embora e ele dizia que estava sendo usado pelo diabo e que aquilo era o testemunho da nossa vida e que a gente iria contar isso como uma vitória”.

Por fim, ela diz que perdoou, mas achava que iria morrer, por causa das ameaças que sofria do companheiro.

“Eu perdoei uma vez, perdoei duas vezes, três vezes e muito mais. Sabe por que? Porque eu tinha medo das ameaças que eu recebia. Tinha medo de morrer em diversos momentos em meio a essas brigas, achei que eu fosse morrer. A sensação que eu tinha é que eu já tava morrendo”, finalizou.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo