Mundo

As pessoas estão abertas, mas a Igreja está sendo retida por ‘relações públicas muito ruins’, diz Guvna B

(Foto: Unsplash / Tom Ramalho)

O rapper e apresentador vencedor do prêmio MOBO, Guvna B, tem a missão de apresentar às pessoas uma imagem mais precisa da Igreja do que “pessoas em mantos cantando ‘Kumbaya, meu senhor'”.

Ele estrela uma nova série de documentários em seis partes, ‘Is God Dead? Stories of Faith with Guvna B ‘, a ser transmitido na TBN em dezembro.

Produzida pela Alpha UK, a série segue Guvna B e o co-apresentador Josh Walton enquanto viajam pelo Reino Unido explorando histórias de fé e perguntando se a Igreja, o Cristianismo e Deus ainda são relevantes na Grã-Bretanha de hoje.

Cada episódio explorará uma área onde a Igreja está fazendo uma diferença prática na vida das pessoas e contará as diversas histórias de cristãos em todo o país.

Em uma exibição exclusiva, o rapper sentou-se diante do público para discutir suas intenções por trás de fazer a série e o que ele tirou dela.

“Nos últimos 18 meses a dois anos, muitas das conversas que tive com as pessoas são conversas sobre exploração”, disse ele.

“Todo mundo está explorando a espiritualidade, eles parecem muito mais abertos.”

Mas uma área de fraqueza que ele vê é a “péssima RP” em torno do Cristianismo.

“Quando as pessoas pensam sobre o Cristianismo, elas apenas pensam em pessoas em mantos cantando ‘Kumbaya, meu Senhor’.

“Existem tantas facetas diferentes e eu queria explorar isso.”

O objetivo da série é mudar a percepção das pessoas sobre a igreja.

Guvna B e Josh Walton na Calçada dos Gigantes, onde filmaram um episódio sobre a oração.(Foto: Alpha UK)

Compartilhando o que aprendeu durante a produção da série, Guvna B disse: “Existem partes da Igreja com as quais nem sempre me sinto confortável.

“Fizemos um episódio sobre cura em que fomos ao País de Gales para encontrar uma senhora chamada Chloe, que completou um doutorado em cura.

“Aprendi a acreditar novamente em coisas sobre as quais sempre fui bastante pessimista.”

Ele continuou: “Eu luto quando as coisas são motivadas apenas pela fé, preciso que haja um pouco de ciência por trás disso.

“Há tantas pessoas que fazem coisas realmente interessantes fora das quatro paredes da Igreja que me inspiram, aprendi muito”.

Mas o rapper também passou a compartilhar como a igreja não o “preparou para a dor” ou para aqueles momentos em que a vida não ia exatamente como ele queria.

“Parecia que, quando as pessoas se tornam cristãs, a vida é simplesmente perfeita. Fiquei muito confuso.

“Acho que essa geração não quer necessariamente a perfeição, acho que eles querem algo que seja real, então é isso que queríamos oferecer”, disse ele.

Filmado durante os meses de verão, os temas e tópicos abordados na série incluem ação social, saúde mental, oração, cura e perdão.

A injustiça racial também foi tocada na série e Guvna B expressou porque achava que isso era essencial para cobrir.

“Acho que é importante desafiar a Igreja se sinto que eles falharam e poderiam fazer mais trabalho em uma área”, disse ele.

“Nos últimos dezoito meses, muitas organizações, pessoas e marcas têm olhado para si mesmas e não acho que a Igreja deva ficar isenta desse processo”, disse ele.

A ambição da Alpha UK ao produzir a série é capturar a imaginação de pessoas que nunca se envolveram ou viram qualquer relevância da Igreja.

A esperança de Guvna B para a série é que ele e sua equipe sejam capazes de “refletir uma visão holística da Igreja”.

“Se as pessoas olharem para isso e decidirem que não é para mim, ótimo. Mas, pelo menos, gostaria que tivessem uma imagem precisa de como a Igreja se parece e acho que se fizermos isso, teremos feito nosso trabalho”, ele disse.

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo