A 4ª Vara Cível da Serra determinou o leilão de um imóvel, no Centro da Serra, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus para pagar dívida de aproximadamente R$ 200 mil ao pastor Agmar do Nascimento Nilo. A dívida inicial era de cerca de R$ 74 mil.Mas, em valores atuais, passou para R$ 200 mil, segundo o advogado do pastor Agmar, João Luiz Castello Lopes Ribeiro.

[themoneytizer id=”16458-20″]

 

Agmar do Nascimento Nilo era pastor do Templo da Assembleia de Deus, em Serra Dourada I, quando foi convidado pelo pastor Delio Nascimento a fazer parte do seu ministério, cuja sede é a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério de Serra, na Rua Major Pissarra, Centro da Serra.

Ameaça de bomba interdita Assembléia de Deus do DF




O advogado relata que Agmar e a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério de Serra, de responsabilidade do pastor Delio Nascimento, assinaram um “contrato social de jubilação”.

Na prática, o contrato transferia o templo de  Agmar do Nascimento Nilo para o Ministério e o transformava em pastor dessa instituição. O contrato seria vitalício, mas “eles deixaram de pagar de pagar várias mensalidades do estabelecido no contrato de jubilação”, conforme relatou o advogado João Luiz.

1

Com os atrasos, o contrato foi rompido. Para receber as mensalidades atrasadas, o pastor entrou na Justiça em 2012. Quatro anos depois, em 23 de junho de 2016, a juíza Cinthya Coelho Laranja determinou que seja leiloado o terreno localizado ao lado do templo do Ministério no Centro da Serra.

MULTA

A decisão é de 2016, mas ela só será executada em 17 de abril de 2018, data marcada para a realização do leilão do imóvel, que vai acontecer na sede da 4ª Vara Cível da Serra.



O advogado João Luiz Castello Lopes Ribeiro afirmou que o excesso de recursos segurou o andamento do processo. Tanto que a Igreja Assembleia de Deus foi multada por litigância de má-fé, quando uma das partes usa de forma maldosa o andamento do processo para prejudicar a outra parte. “Eles estavam questionando coisas que já haviam questionado antes e sido decididas”, afirma o advogado João Luiz.

O OUTRO LADO

O advogado que representa a Igreja Evangélica Assembleia de Deus e o pastor Delio Nascimento, Luiz da Muzi, foi procurado pela reportagem, por telefone, na noite de segunda-feira (19). Como estava em reunião, ele respondeu por mensagem que a informação é falsa que possui documentos que provam o contrário. O advogado afirmou que está pronto para receber a reportagem e esclarecer o assunto. A reportagem respondeu sobre as decisões da 4ª Vara Cível da Serra, mas não houve retorno até as 22 horas de segunda-feira (19).

Com informações Gazeta On Line




Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.