Padre Paulo Oliveira Costa, mais conhecido como Pe. Paulinho, da Comunidade Canção Nova, foi internado as pressas em Minas Gerais no sábado, 27 de janeiro, por  envenenamento e o caso está sendo investigado para o devido esclarecimento. As investigações preliminares apontam acidental, mas com ressalva.

“ O Padre Paulo de Oliveira Costa (Pe. Paulinho), 41 anos, e sua mãe, Adelaide Nogueira Costa, 81 anos, sofreram uma intoxicação alimentar por envenenamento”. Segundo nota de esclarecimento publicada pela direção da Canção Nova

“Tudo indica que foi causa acidental”. No entanto indicam, ressaltando que “a perícia da Polícia Civil está fazendo a devida investigação para esclarecer o ocorrido”.



Conforme informou o site ‘Minas em Foco’, Pe. Paulinho estava em visita a sua mãe em sua terra natal, Ouro Fino (MG), no distrito de Crisólia.

Padre Reginaldo Manzotti acusado de engravidar garota de 21 anos

Dona Adelaide preparava o almoço quando o sacerdote foi chamado para atender um enfermo e sua mãe o acompanhou. Ao retornar, almoçaram e, em seguida, sentiram-se mal.

1

Tanto o Padre quanto a mãe foram socorridos no Pronto Socorro de Ouro Fino e, à noite, o sacerdote foi transferido para o Hospital Santa Paula, em Pouso Alegre (MG), onde permaneceu em observação devido a uma arritmia cardíaca.

Pelo Facebook, um primo de Pe. Paulinho, Cassiano Marrara pediu orações pelo sacerdote. “Ele e minha tia foram envenenados”, afirmou, o primo ressaltando que a situação era “delicada”.



Nesta segunda-feira, Cassiano Marrara atualizou as informações sobre o quadro clínico do sacerdote, e declaração foi que  “a fase crítica já passou”. “Graças a Deus, minha tia e o Paulinho estão bem”, afirmou, reforçando o pedido para que todos “continuem em orações por eles”.

De acordo com a Comunidade Canção Nova, “o sacerdote e sua mãe ainda estão hospitalizados e fora de perigo”.

Informações: folhagospel.

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.