Na noite desta terça-feira (20), milhares de pessoas fizeram uma passeata em memória da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, assassinados na última quarta-feira (14).

[themoneytizer id=”16458-2″]

 

O evento pró Marielle Franco ,culminou com um “ato multirreligioso” em frente à Câmara no Rio de Janeiro. Entre os convidados estavam líderes religiosos como Leonardo Boff, o rabino Nilton Bonder, o pastor luterano Mozart Noronha e a mãe de santo IyáWanda de Omolu.

Silas Malafaia investigado por lavagem de dinheiro




Circulam vários vídeos na internet mostrando que o tom foi meramente político. Era possível ver diferentes bandeiras sendo agitadas, incluindo várias com o arco-íris, símbolo do movimento LGBT e até uma usada para representar os Territórios Palestinos.

A participação do pastor batista Henrique Vieira chamou atenção pelas colocações que mostram a tentativa de aproximação do partido com os evangélicos. Assim como Noronha, Vieira é filiado ao PSOL. Ele já declarou sua intenção a concorrer a deputado estadual nas eleições deste ano.



Assim como tinha feito em suas participações no programa encontro com Fátima Bernardes, o pastor psolista insistiu que Jesus foi um “negro favelado de Nazaré”. Comparando a pessoa de Cristo com a vereadora assassinada, disparou: “A cruz não foi capaz de silenciar a voz de Jesus e aqueles tiros não vão silenciar a voz de Marielle Franco”.

Ele também subiu o tom, fazendo ilações e acusações. Usando de ironia, bradou: “Eu quero afirmar, com todo amor e respeito, que os coronéis da fé e vendilhões do templo Crivella, Malafaia e companhia matariam Jesus hoje. Eles não controlam esse povo preto e pobre que usam o nome de Jesus para promover o amor e a graça”.

Informações : GospelPrime




Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.