Fiel da Igreja Universal  morta pelo próprio irmão em intriga familiar. Pedro Miranda, de 19 anos, açougueiro, que foi preso suspeito de esfaquear e matar a irmã, Vitoria Miranda Costa, de 22 anos.

Na internet,Pedro Miranda  ameaçou  matar os fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus poucas horas antes do crime. Em depoimento à polícia, ele confessou o assassinato, não demonstrou arrependimento e acusou a vítima de estar com uma faca.




A execução ocorreu na casa da família, na Avenida Atlântica, em Mongaguá, no litoral de São Paulo. Vitória teve o rosto desfigurado e foi golpeada a facadas nos ombros, embaixo do braço e nos seios. Ela foi surpreendida enquanto carregava o pai de ambos, de 66 anos, que é cadeirante e não conseguiu ajudá-la.

Antes de matar a fiel da Igreja Universal, a própria irmã,Pedro Miranda fez um post no Facebook ameaçando matar Valdemiro Santiago e todos os membros da Igreja Universal.

“Bando de lixo filho da […]. Se pudesse, matava toda a Igreja Universal. Pastor Valdomiro, todos esses… Vou queimar muito tempo no inferno”, escreveu Pedro, ao compartilhar uma publicação em uma rede social.



Após ingerir bebida alcoólica e ficar alterado, Pedro Miranda começou a discutir com a irmã. Em seguida, de acordo com a polícia, ele voltou ao quarto do pai e a apunhalou pelas costas.

“A jovem tentou se defender, mas não conseguiu. O pai viu tudo. Foi ferida gravemente no rosto e acabou morrendo ali mesmo, no local”, disse.

Após a fuga de Pedro,fiel da Igreja Universal  morta, foi encontrada pela ex-cunhada, que foi à residência para buscar os bens pessoais, em razão do término do relacionamento. O aposentado, que assistiu ao crime, não conseguiu socorrer a filha, nem pedir ajuda, pois, segundo a polícia, era incapaz de sair da cama. Quando a equipe do Samu chegou ao local, realizou o procedimento padrão, mas Vitória não resistiu aos ferimentos.

Informações : G1

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.