As informações do Camboriú noticias e que a vereadora Jane Stefenn pede que MP investigue pagamento de médicos com dinheiro público pela Prefeitura de Camboriú para atendimento no ambulatório dentro da sede dos Gideões. Segundo ela o espaço da igreja onde acontecem os cultos é local privado por isso gastos com segurança e saúde devem ser do organizador e não da Prefeitura

[themoneytizer id=”16458-1″]

 

A vereadora Jane Stefenn (REDE) pediu pessoalmente ao Ministério Público Estadual, comarca de Camboriú, na tarde dessa terça-feira (24) para que investigue a possível contratação de médicos e o uso de servidores da Saúde pela Prefeitura de Camboriú para que atuem em um ambulatório dentro da sede privada dos Gideões Missionários da Última Hora durante os dias de evento. Segundo Jane, o espaço da igreja onde acontecem os cultos é privado, portanto é de responsabilidade dos organizadores os gastos com segurança e saúde internamente. O ato da Prefeitura de Camboriú pode configurar desrespeito à Lei de Improbidade Administrativa.

Vereadora de Camboriú denuncia os Gideões




 “É como alguém resolver fazer um grande show, numa grande casa de festas que é particular e pedir para a prefeitura contratar os médicos que atenderão casos de emergência dentro do local porque lá estarão várias pessoas. O espaço é privado, o evento é realizado por uma instituição e é essa instituição que deve arcar com as despesas dentro de suas dependências”, disse.



De acordo com vereadora Jane Stefenn  a situação seria diferente, caso a Prefeitura disponibilizasse médicos dentro dos postos de saúde, Hospital ou postos avançados em locais públicos como a Praça das Figueiras que pudessem ser acessados por qualquer cidadão camboriuense ou visitante da cidade, o que não é o caso quando se passa a atender dentro da sede de uma igreja específica e que é um espaço privado.





Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.