A pastora Juliana Salles também foi presa na madrugada desta quarta-feira (20), no município de Teófilo Otoni, em Minas Gerais. Ela é mãe dos irmãos Joaquim Alves, de 3 anos, e Kauã Salles Burkovsky, de 6 anos, mortos no incêndio em Linhares (ES) e esposa do pastor Geogerval Alves. O casal de pastores  lideravam a Igreja Batista Vida e Paz, instituição não reconhecida pela Convenção Batista Brasileira (CBB).

Na última segunda-feira (18), o juiz André Bijos Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares, expediu o mandado de prisão para a pastora  Juliana Salles,  por homicídio qualificado. A ação foi cumprida pela Polícia Civil de Minas Gerais.




Segundo  a polícia mineira, Juliana  estava na casa de um pastor no momento da prisão, no bairro São Francisco, em Teófilo Otoni. O município é o mesmo em que Juliana Salles participou de um congresso religioso no dia 21 de abril, data em que ocorreu o incêndio na residência onde morava com o marido, popularmente conhecido como George Alves e os filhos.



O Ministério Público do Espírito Santo pediu a prisão preventiva de Juliana Salles, por prazo indeterminado, pelos crimes de duplo homicídio, estupros de vulneráveis e fraude processual. O acusado Georgeval responderá ainda pelo crime de torturas. Ele está preso desde o dia 28 de abril, uma semana após a tragédia.




Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.