O pastor Junior Trovão, com sua voz encorpada  e veemência nas suas pregações tem deixado por onde passa, as marcas do poder de Deus.

Junior Trovão antes de se converter era traficante e usava e  abusava  das drogas. somente depois de entregar sua vida a Cristo ganhou a liberdade a qual muitos hoje acabando morrendo escravos das drogas.

Depois de iniciado o ministério de pregação pelo  Brasil, e posteriormente viajando para fora, ele afirma que somente na África ganho mais de 5 mil almas o reino de Cristo.




A perdição no mundo das drogas

“Quando aceitei a Jesus há 20 anos eu estava afundado nas drogas e no tráfico. A presença de Deus foi tão forte na minha vida que eu me entreguei para Ele e no outro dia liguei para as mulheres que eu estava envolvido e disse: ‘Não quero mais’. Elas falaram: ‘Porque?’ Eu disse: ‘A partir de ontem eu entreguei a minha vida para Jesus’. Cheguei para os rapazes da boca e disse: ‘Não tô mais, sai’. Eles disseram: ‘Por quê?’ E eu disse: ‘A partir de ontem eu entreguei a minha vida para Jesus’. Eles falavam assim: ‘Não dou eu três meses para ele estar de volta’. E já vai fazer 20 anos”, contou o pastor

“Eu cheirava tanta cocaína que saia pedaços de carne do meu nariz, com muito sangue. Nunca cheirei cocaína sem ter uma garrafa de whisky do meu lado. Eram de cinco a sete gramas que eu cheirava por dia. Quando entreguei minha vida para Jesus, no outro dia eu senti nojo de cheirar. Não precisei ir para uma clínica, nem para um Centro de Recuperação. O Evangelho me recuperou naquela noite”, ressaltou.



A juventude 

“Com 16 anos eu já tinha três tiros pelo meu corpo. Quem conhece sabe que tem revólver que não nega fogo. Naquele dia, 15 dias antes de me entregar, eu saindo de casa minha mãe olhou para mim e disse: ‘Meu filho, eu orava por você essa noite e Deus falou comigo. Mulher não peça mais misericórdia pela vida dele, porque a partir de hoje eu vou tratar com ele pessoalmente. Eu na troca de tiro com a polícia, dei na direção dele eu falhou. Dei para o alto e saiu. Dei de novo na direção dele e falhou. Quando falhou ele me deu três tiros”, relembrou




As amizades de Junior Trovão e os que se diziam amigos

“Sabe os meus amigos? Todos foram evadirame eu fiquei sozinho. Sabe para onde olhei? Para o céu. Sabe os que diziam para mim que se tiver de morrer a gente morre junto? Correram. Naquele momento ninguém podia me salvar, ninguém. Eu não sei porque aquele polícia não chegou até a mim atirando na minha cabeça. Hoje eu entendo que foi Deus. Eu olhei para o céu e disse: ‘Deus, se tu não deixar eu morrer eu faço um pacto contigo’. Eu tomei tiro às 21h e os policiais e bombeiros me jogaram em uma máquina. Deixaram meu sangue escorrer, sangrei até quase a morte”, contou.




A redenção de Junior Trovão através da misericórdia de Deus

“Eu olhei e disse: ‘Deus tenha misericórdia’. Mas para glória de Deus, às 3h me levaram para uma mesa de cirurgia e naquele dia Jesus injetou o sangue Dele no meu sangue. Não era para eu aguentar. Eu estava perdendo muito sangue. Seis horas depois eu fui para o hospital. Era Deus guardando a minha vida para que eu pudesse estar aqui hoje dizendo que fui salvo. Que ele cura liberta e leva o homem para o céu”. finalizou

Originalmente : Guiame



Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.