Um suposto pastor garante que irá destruir as religiões do Brasil, dentre elas a igreja católica, centros espíritas e igrejas evangélicas.

De acordo com o vídeo que o suposto pastor que publicou em sua  rede social e está sendo compartilhado pelos internautas, afirma que nasceu com a missão de destruir as religiões.




O suposto pastor é identificado como Edivaldo Moreira, diz que é  conhecido na região da Bahia destina a destruir ” a igreja católica , a igreja evangélica e os centros espíritas” afirmou o homem ” Destruir como?”, indaga ele em seu comunicado.

“Pregando a verdade para as pessoas. Igrejas são pessoas reunidas em qualquer lugar, pra ouvir a verdade do evangelho como está escrito em Mateus 18:20”, explicou



Baseado no texto que diz:”Onde estiver dois ou três reunido em meu nome ali estarei”, o pastor  afirma que isto é igreja. Templos, são esconderijos de demônios e criações satânicas.

” Religiões são criações satânicas para mascarar a verdade, para manipular, para comercializar a fé e pra faturar em cima da ignorância alheia”

Segundo o suposto pastor , religião nada mais é do que a exploração da fé, da ganancia, da culpa e do medo. ” A religião explora as imperfeições humanas. O evangelho liberta batiza, limpa e salva”

O homem diz ainda que não prega religião católica, espirita ou evangélica, mas o evangelho de Cristo  em qualquer hora, em qualquer dia e em qualquer lugar.




 

Mais sobre pastor

+ Drama da Assembléia de Deus Cruz das Almas e os desfalques do pastor Gregg Ferreira

Assembléia de Deus Cruz das Almas, Bahia, vive drama semelhante ao que a Assembléia de Deus de Governador Valadares, MG  tem vivido. Os princípios da discórdia entre os  membros com as lideranças são desvios de dinheiro dos cofres da igreja. No caso da Adecal, o rombo seria de R$ 200 Mil Reais. Segundo informações que [continue lendo]

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.