O pastor Marcus Gregório é o líder do  Ministério Apascentar de Nova Iguaçu. A igreja sob a liderança do pastor se tornou alvo na segunda fase da operação Fantoche da Polícia Civil do Rio de Janeiro, nesta Quarta-Feira (17).

Além de supostamente a igreja do líder e pastor Marcus Gregório estar envolvida no esquema de lavagem de dinheiro, mais  duas empresas de ônibus, a Expresso São Francisco e a Transtur Vila Emil Nova Iguaçu Turismo e Viação.

Em sua rede social o pastor Marcus Gregório publicou um vídeo onde nega as acusações afirmando veementemente que são todas mentirosas, sendo mais uma vitima do sistema.




¨ Eu fui vitima e tenho sido vitima de uma violência. eu acredito na democracia, acredito no estado de direito. eu acredito na justiça e tenho a mais absoluta certeza que a justiça vai corrigir  a arbitrariedade que tem sido cometida contra mim. Foram a minha casa, vieram na igreja… queridos, não consta deposito de nada. Não conheço essas pessoas. Essas pessoas não são membros da igreja. E mentirosa a afirmação de que depositou 400 mil¨, afirmou ele em vídeo

Percebendo similaridade no caso do pastor Marcus Gregório, Silas Malafaia que também foi acusado de lavagem de dinheiro, segundo ele , arbitrariamente na operação Timóteo, saiu em defesa do líder do Ministério Apascentar.



¨ A minha indignação, e até a delegada precipitada falando asneira., a igreja evangélica não, qualquer instituição religioso pode receber donativos e oferta e não é obrigado a saber a origem . A igreja é obrigada a declarar na receita Federal o que recebe.

De acordo com a Policia, em apenas dois meses, foi movimentado quase R$ 1,3 milhão no esquema . A igreja Ministério Apascentar, do pastor Marcus Gregório recebeu do empresário, nesse período, cerca de R$ 400 mil.

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.