Pastor Jonathan Lamont Jenkins

O pastor de jovens Jonathan Lamont Jenkins  (57) foi detido na terça-feira em uma loja de bebidas. O religioso é acusado de abusar sexualmente uma garota de 13 anos dentro de um banheiro. O detalhe que foi em sua igreja enquanto um culto acontecia. Segundo as informações da Polícia de Santa Ana, Califórnia.

O  pastor  Igreja Batista de Starlight, Jonathan Lamont Jenkins, foi preso quando ele entrava em uma loja de bebidas em Santa Ana. Ele foi acusado de abusar sexualmente, agravado por ser de  menor, sendo ela garota de 13 anos.  Ele está agora na cadeia do condado de Orange, onde ele está detido sob fiança de $ 1.000.000.




A polícia afirmou  que a garota de 13 anos, que frequentava a Starlight Baptist Church desde 2012. Segundo informações da menina, Jenkins,  trabalha na igreja há dois anos, e começou abusar em janeiro, quando ela ainda tinha 12 anos.

+ Pastor evangélico é indiciado por estupro e corrupção de menores

A vítima ainda disse a Polícia  que tentou escapar, mas o pastor a segurou contra sua vontade. Ameaçou-a com violência física, depois a estrangulou e a agrediu sexualmente.



O crime não foi imediatamente levado à polícia e a mocinha continuou frequentando a igreja. Jenkins também foi acusada de contatar a adolescente na igreja em 5 de agosto e zombar dela sobre o ataque. A adolescente revelou que ele a avisou, que se ela contasse o que aconteceu a polícia, ele diria que ela permitiu.

+Padre Fábio chama cachorro de Cornélio Malafaia e gera discussão na internet

O Capitão Anthony Bertagna  disse ao KTLA5  que Jenkins tem uma “longa história criminal” com condenações anteriores. Inclusive por roubo, ameaças criminais e violações de narcóticos.

O modo como ele lidou com essa criança, no local onde ele lidou com essa criança, os leva a acreditar que potencialmente há outras vítimas por aí“, disse Bertagna sobre os investigadores.




Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do "O Buxixo Gospel. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.