EvangelismoPolêmicas

Esquema de pregações patrocinadas como era com o pastor Reuel Bernardino vai continuar nos Gideões

Reuel
Presidência dos Gideões

Engana-se quem pensa que agora tudo reina em paz nos Gideões porque Reuel Bernardino  já não está na presidência. Acontece que de acordo com informações o esquema não mudou nos Gideões, apenas a liderança.

Porém, o modus operandis de manter a o roda dos Gideões a girar na era Reul Bernardino continua. Segundo informações obtidas por nossa redação as famosas pregações patrocinadas já estão em negociação para o congresso de 2019.

A liderança do congresso já foi acusada de cobrar até 50 mil reais para deixar que iniciantes e anônimos apareçam e cantem ou preguem. Devido a grande exposição que tem pelo Brasil é um dos maiores sonhos de consumo de muitos pregadores. É fato que quando aparecem nos Gideões vêem as portas se abrirem.

Informações dão conta de que o esquema na gestão anterior um dos secretários Henrique Reame, era quem fazia  a negociação.

Os cantores e pastores que queriam se apresentar no evento o procurava e pagavam por isso. Tanto Reuel como o Vice Heslem Ricardo não interferiam nas negociações, apenas recebiam o dinheiro. As famosas apresentações de 15 minutos vão continuar neste ano de 2019 mediante pagamento.

Urgente : Vice-Presidente dos Gideões tem paralisia facial e seu estado saúde é grave

O que muda neste ano, é que o novo presidente estaria supostamente pedindo aos interessados que lhe procurem diretamente. A negociação também seria intermediada pelo vice Hueslem e nada poderá ser feito por telefone apenas pessoalmente. Parece que a velha forma de Gideões continuará, apenas sem um Bernardino no poder.

O fim do ano de 2018 foi marcado pela grande polêmica da saída e jubilação do Pastor Reuel Bernardino. Ele renunciou ao seu cargo de Presidente do Congressos dos gideões, fundado por seu pai e também Presidente da Assembléia de Deus de Camboriú. Ele teria alegado estar doente e precisar cuidar da saúde. Entretanto, boatos deram conta de que um complô foi organizado para retirá-lo do poder.

A situação deu muito o que falar e pouco a pouco vai se confirmando a teoria de um complô que tinha objetivo de colocar as mãos no poder. Mas engana-se quem acha que a polêmica acabou. O ministério púbico já aceitou denúncias feitas sobre improbidade administrativa nas finanças do congresso. Para os Gideões 2019 ainda só está começando.

Etiquetas
Comentários
Botão Voltar ao topo
Fechar