Mariana Valadão emociona fiéis ao cantar com a filha de 2 anos

Mariana é única dos irmãos que vivem no Brasil

A cantora Mariana Valadão emocionou os fiéis de sua igreja,A Lagoinha Niterói,fazendo uma apresentação no culto ,ao lado de sua filha caçula,Bella Valadão.A pequena tem apenas 2 anos e já encanta pela internet.Bella é caçula,terceira filha de Felipe e Mariana Valadão.

A pequena foi sensação no culto e foi ovacionada ao lado da mãe que está lançando no álbum nas plataformas digitais ,intitulado “Paz”.Mariana Valadão teve um hiato na carreira onde ficou 5 anos sem gravar nada.Em contra-partida,a cantora teve muitas mudanças na vida.Mudando de Belo Horizonte para Niterói,a pastora abriu a famosa Lagoinha Niterói ao lado do marido e de lá pra cá ,a família ganhou mais dois integrantes.Foi um período bem produtivo para a cantora apesar de não estar cantando.

Agora,Mariana decide retornar aos palcos e já se encontra preparada para reassumir a carreira que ficou estacionada em nome da família.Porém,com o sobrenome famoso,não demorou a emplacar novamente suas músicas pela web.

Mariana Valadão e Felipe,sofreram um grande susto esta semana que passou,com o filho mais velho ,Tito.O menino de apenas 8 anos,sofreu um acidente enquanto brincava no quintal do condomínio onde vive com a família.O menino teve fratura no pulso,e teve mais algumas escoriações leves. Mesmo assim,teve de ficar internado para fazer uma cirurgia no pulso esquerdo.Depois do grande susto,Tito voltou pra casa e está bem com a família.

A família Valadão é uma das mais famosas no meio gospel.Donos de um carisma enorme,as crias da Igreja Batista Lagoinha ,cujo presidente é o Pastor Márcio Valadão,ganharam o mundo com seu talento.O mundo literalmente,pois dois dos três irmãos Valadão nem moram mais n Brasil.Ana Paula e André,mudaram-se para a Flórida e abriram sua próprias igrejas.Por questão de qualidade de vida e segurança,os irmão preferiram sair do pais.A única que restou morando no Brasil,foi Mariana Valadão que está no Rio de Janeiro,na cidade de Niterói.

Comentários