Notícias Gospel

Universal sofre ataques de vandalismo.

Ao todo, já são cinco templos atacados nos ultimos meses.

Dois templos da igreja Universal sofreram ataques recentemente. As igrejas ficam localizadas em Salvador, Bahia e foram pichadas em atos de vandalismo na última terça-feira (18).

As paredes dos templos da Rua Afrânio Peixoto foram marcadas por um grupo de ativistas durante uma manifestação com as seguintes frases:

“Fogo nos fascistas”, “Legalizar para não encarcerar” ( em referência à liberação do consumo de drogas ), e “Exú não é diabo respeite meu sagrado”.

Acredita se que isso se trate de algum tipo de ódio direcionado diretamente a igreja, visto que com este caso já se somam cinco templos atacados nos últimos meses. Além das igrejas de Salvador, os vandalismos também ocorreram em São Paulo, Piauí e Santiago (Chile).

Apesar de os casos terem ocorrido na Universal, as comunidades evangélicas tem se compadecido com os acontecimentos. Isso porque a grande mídia tem o hábito de fazer um enorme alarde quando instituições pertencentes a outras religiões sofrem ataques de intolerância religiosa. Entretanto, quando se trata de um templo cristão, os incidentes costumam passar despercebido pelos jornais e emissoras de TV.

“A perseguição aos cristãos é uma triste realidade em 144 países, segundo relatório entregue por representante da Igreja Anglicana ao Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido, em maio deste ano.” Publicou a igreja Universal em uma nota no site oficial da instituição.

“No Brasil, os bispos, pastores, fiéis e simpatizantes da Universal sabem o que significa este ódio: não há vítima maior do preconceito religioso em nosso país que a Igreja Universal do Reino de Deus”, acrescentou o departamento de comunicação da IURD.

A igreja ainda chegou a acionar a polícia e prestar uma queixa sobre os casos, pedindo para que os casos fossem investigados e os responsáveis fossem devidamente penalizados de acordo com a lei. Entretanto, não se tem notícias de que nada tenha sido feito até o presente momento.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo