Mundo

Kim e Trump, protagonizam encontro histórico na Coréia do Norte.

A intolerância religiosa não foi abordada na conversa

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teve uma reunião histórica neste ultimo domingo (30). Ele se tornou o primeiro presidente norte americano a colocar os pés em território Norte coreano. Trump se encontrou com Kim Jong-un na divisa entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul.

Ao se encontrarem, deram um aperto de mãos. Em seguida, se dirigiram ao território da Coreia do Norte. Eles permaneceram na área desmilitarizada, onde tiveram um longo diálogo de aproximadamente uma hora.

Os dois países, acordaram em estabelecer projetos para a criação de equipes que reiniciem as negociações nucleares entre eles.

“É bom ver você de novo. Eu nunca esperei te encontrar neste lugar. Acredito que essa seja uma expressão de sua disposição em eliminar todo o passado infeliz e iniciar um novo futuro”, disse Kim com um sorriso ao presidente Trump.

“Eu fiquei orgulhoso de passar por cima da linha [que divide as duas Coreias]”, respondeu ele. Posteriormente,  os líderes voltaram para lado sul-coreano da fronteira. “É um grande dia para o mundo”, completou.

Entretanto, a perseguição religiosa protagonizada pela coreia do norte não foi abordada por Trump durante a conversa com Kim. O país se encontra atualmente no topo do ranking da intolerancia religiosa contra os seguidores de Jesus.

Segundo Isaac Six, atual diretor de defesa do portas abertas, a conversa entre os líderes deveria transcender aos limites de armas nucleares.

“Os regimes que apoiam terroristas e ameaçam cometer genocídio devem ser confrontados sempre que possível?. Absolutamente. Mas nunca podemos esquecer que uma nação é composta de muito mais do que apenas seu governo. Em nosso zelo para impedir o que pode ser uma ameaça real, devemos também elaborar nossa resposta de tal maneira que os direitos e liberdades de milhões sejam protegidos”, afirmou.

Ademais, a  Portas Abertas alerta que “ao ignorar o tratamento deplorável dos direitos humanos na Coreia do Norte, as conversas entre Trump e Kim também estão ignorando e desvalorizando mais de 300 mil homens, mulheres e crianças que escolheram seguir a Jesus”.

“Por meio do apoio e da oração, podemos seguir esse chamado bíblico. Nos próximos dias, semanas e meses, à medida que os dois países formarem equipes para retomar as negociações, ore diariamente e fervorosamente para que essas conversas incluam também os direitos humanos”, concluiu.

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Open chat
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do O Buxixo Gospel.