Brasil

Pai de Santo é convidado ao STF e “energiza” ministros

"Eu dou as orientações, faço a energização”, afirma o pai de santo.


Uma figura emblemática estava entre os convidados para a cerimônia, o pai de santo “Vitão”, como é conhecido Benedito Januário dos Santos, durante a posse do ministro Dias Toffoli como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os ministros da Corte foram muito receptivos com o religioso, inclui conselhos e o que chama de “energização” do tribunal. Essas coisas ocorrem fora as visibilidade da opinião pública ou da cobertura da mídia.
“Quando vou para Brasília, na surdina, vem o Fachin, os outros… Eles querem saber como é. Eu dou as orientações, faço a energização”, afirma o pai de santo.

No Largo São Francisco, a experiência de Vitão é ainda anterior. Além de babalaô, ex-seminarista e coordenador do DJ, é o Rei da Peruada. É ele quem comanda uma das festas mais tradicionais de São Paulo, que passou, recentemente, a fazer parte do currículo da cidade. A primeira foi em 1982, entoando o movimento pelas Diretas Já.Desde então, ele já subia no caminhão da “passeata circense, política e carnavalesca” segurando um peru em seus braços, no horário do almoço, em uma sexta-feira. A partir disso “Vitão” torna-se uma figura conhecida da mídia. Para Vitão, a Peruada hoje está esvaziada politicamente. “No início, o pessoal achava que era coisa do PT. Falávamos principalmente sobre lentidão da Justiça.” Sobre o seu amigo de STF, caracteriza-o como alguém de uma humildade fantástica. “Quem sou eu? Quantos não queriam um convite daquele [para participar da cerimônia de posse]? Quantos professores e desembargadores gostariam de ser convidados? E eu fui o primeiro a ser”, jura.

Depois da posse de Dias Toffoli, Vitão conta que formou dupla de moda de viola com o ministro Gilmar Mendes, um momento de intimidade que poucos possuem. O religioso demonstra estar muito grato pelo privilégio do convite para a ocasião.

“Quem sou eu? Quantos não queriam um convite daquele [para participar da cerimônia de posse]? Quantos professores e desembargadores gostariam de ser convidados? E eu fui o primeiro a ser”, disse.

Questionado sobre qual a opinião sobre a possibilidade de uma indicação evangélica para o STF, Vitão é crítico dispara que a religião é “questão de cada um”. “Não precisa ser terrivelmente evangélico [para ocupar o STF]. Tem que ser um bom ministro”, encerra dizendo.

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Open chat
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do O Buxixo Gospel.