Brasil

Pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano se envolvem em polêmica com jornalista da Globo

o impasse estaria relacionado a uma postura inadequada do jornalista.

Pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano se envolvem em polêmica com jornalista da Globo. As desavenças entre a comunidade evangélica e veículos de imprensa pertencentes à Rede Globo tem crescido cada vez mais. Isso se deve a uma postura inadequada de grande parte dos colaboradores do conglomerado de mídia.

 

Recentemente, uma publicação feita pela revista Época acendeu a ira dos pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano que reagiram se posicionando contra algumas afirmações tendenciosas e obviamente mal-intencionadas contidas no texto.

 

O impasse, conta com o envolvimento do jornalista Guilherme Amado, que é colunista da revista. Ele publicou uma nota falando sobre uma cerimônia realizada no Rio Jordão por um pastor evangélico, que contava com a participação de um funcionário do governo Bolsonaro que é judeu.

 

“Fábio Wajngarten, o secretário da Secom, postou há pouco uma foto sendo abençoado no Rio Jordão por um pastor evangélico. ‘A fé inteligente transborda religiões’, escreveu. A foto repete a mesma que seu chefe, o católico Jair Bolsonaro, fez anos atrás, também em Israel”, escreveu Guilherme.

 

O pastor Marcos Feliciano não pensou duas vezes e saiu em defesa de Fábio Wajngarten.

 

“O grupo Globo se supera a cada dia no quesito preconceito contra cristãos, principalmente os evangélicos. Tomei conhecimento que meu amigo Fábio Wajngarten virou alvo de uma notícia sensacionalista e preconceituosa que parte do jornalista Guilherme Amado da Revista Época. Sempre atendo o jornalista da Revista Época com respeito, e ler sua matéria me causou náuseas. No título, ele cita a etnia do Fábio Wajngarten e que ele foi alvo da oração de um pastor. Tudo isso para dizer que o rapaz judeu que foi abençoado, trabalha no governo de Jair Bolsonaro”, rebateu Feliciano.

 

“Deixo aqui meu repúdio à matéria preconceituosa da Revista Época, a quem peço respeito tanto aos judeus quanto aos pastores e principalmente a pessoa do Fábio Wajngarten, a quem dedico minha solidariedade. Nunca vi falarem da religião dos antigos governantes do Brasil. Por que será?”, completou.

 

 

Silas Malafaia, por sua vez, não hesitou em rasgar o verbo e também se posicionou.

 

“Jornalista preconceituoso da revista Época. O jornalista Guilherme Amado querendo colocar em saia justa o secretário da SECOM, Fabio Wajngarten, que é judeu, recebendo oração de um pastor no rio Jordão. Será que é por causa do corte de verba do governo ao grupo Globo?”. Argumentou Malafaia.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo