Brasil

Jean Wyllys deu ataque de “pelanca” nas redes sociais.

E postou raiva contra Dupla sertaneja.

O ex- deputado do (Psol) Jean Wyllys, acusado de ter vendido o seu mandado por R$ 700 mil reais A David Miranda, dá ataque de chiliques nas redes sociais contra a dupla sertaneja, Silmara e Simone E postou texto que expressa revolta e ódio.


Li por aí que uma dupla “neosertaneja” (ou algo que o valha; não sei como se classifica as pessoas que fazem isso tipo de música, que pouquíssimo ou quase nada tem a ver com a música sertaneja ou “caipira”, mesmo com aquela feita por músicos muito mais novos que Chitãozinho & Xororó); li por aí que esta dupla popularíssima se recusou a cantar os versos de uma música em que a palavra “Iemanjá” é mencionada. O motivo da recusa, segundo li, seria o fato de ser “evangélica”. Disse-me um amigo que trabalha no ramo do entretenimento televisivo que esses artistas populares estariam evitando polêmicas com o público conservador. Bom, a tal dupla que se recusou a mencionar a palavra “Iemanjá” apresenta-se seminua quase sempre em seus shows (há fotos de sobra que provam esse fato), com um figurino de corar Messalina de vergonha. Sendo assim, que “conservadorismo” é esse que tolera o visual pornô-pop de uma dupla, mas a rechaçaria apenas pelo fato de mencionar o nome de uma entidade da mitologia iorubá? Recusar-se a mencionar “Iemanjá” é o mesmo que se recusar a cantar os versos de “Planeta Vênus”, de Pepeu Gomes, ou a dizer a palavra “CRONOLOGIA”, já que esta é derivada de CHRONOS, o deus da antiguidade clássica (greco-romana) que representa o tempo (daí, doença CRÔNICA ser uma doença que se estender no tempo, sem cura). Vênus, por sua vez, antes de ser nome de um dos dos planetas do sistema solar, é o nome de uma deusa pagã, tal qual Iemanjá. As únicas explicações, portanto, para o comportamento da dupla e para a reação de seu pública seriam: IGNORÂNCIA e RACISMO, duas doenças que parecem crônicas no Brasil e que se agravaram nos últimos três anos. Racismo porque só há recusa em se mencionar o nome de seres mitológicos quando se trata dos deuses da mitologia africana. A dupla deveria aprender com Roberta Miranda, que compôs um hino sertanejo imortal chamado “A majestade, o sabiá”, popular nas interpretações de Chitãozinho & Xororó e do saudoso Jair Rodrigues: “Tô indo agora tomar banho de cascata;
Quero adentrar nas matas onde Oxossi é o Deus.”
essas foram as palavras de Wyllys, que segundo relatos fugiu do país com medo de ser preso por vários crimes de improbidade administrativa e corrupção passiva e ativa.

 

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Open chat
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do O Buxixo Gospel.