Notícias Gospel

Guerra bíblica é confirmada, após altar achado a comprovar.

De acordo com o portal GOSPELPRIME, a batalha entre Mesa e Moabe foi comprovada, pelo artefato encontrado.

 

Arqueólogos encontraram Dois textos do século IX a.C., escritos com símbolos moabitas e números egípcios em Hierático (um sistema de escrita egípcio), os quais narram uma história sobre a rebelião do ao rei Mesa. A insurreição do rei terminou com a dominação por Israel da região de Moabe. O altar de pedra tem cerca de 2.8 mil anos, ele foi descoberto no interior de um santuário moabita na antiga cidade de Ataroth, na Jordânia.

As suas duas escritas datam uma hora depois que o rei de Moabe, Mesa se voltou contra o reino de Israel, o qual obteve sucesso e conquistou Ataroth, uma ex-cidade que pertencia a Israel. Nesta época Israel havia se dividido em dois reinos, reino do norte que continuou a se chamar de Israel e o do sul foi mudado para Judá.

O livro de 2° Reis, capítulo 3 na Bíblia menciona este acontecimento. Segundo ela, antes de Mesa se voltar contra seu rei, Moabe deveria entregar anualmente a Israel milhares de cordeiros e uma enorme quantidade de lã de carneiro. A Bíblia também faz menção a está passagem em “Estela Mesa”, ou Pedra Moabita, a qual foi achada 1868 em Dhiban, na Jordânia, a qual confirma que o rei Mesa conquistou Ataroth e matou seus habitantes.

O artefato foi encontrado na escavação do santuário, em 2010, suas inscrições confirmam que os moabitas conseguiram tomar Ataroth, afirmou Christopher Rollston, o co-autor do estudo e professor de línguas semíticas e literaturas da Universidade George Washington em Washington, DC.

“são as primeiras evidências que temos até agora para uma escrita moabita distinta” relatou Rollston à Live Science, e que é uma prova que em 2.8 mil anos atrás, os moabitas já tinham escribas habilidosos.
Atualmente Ataroth é chamado Khirbat Ataruz, e as escavações feitas no local estão sendo conduzidas pelo reitor de educação na Universidade La Sierra, de Riverside, Califórnia, o Dr. Chang-Ho Ji.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo