Notícias

Luisa Mel é acusada de intolerância religiosa

a ativista foi desmentido por uma mulher que se diz veterinária

Luisa Mel é acusada de intolerância religiosa

Questões envolvendo maus tratos a animais são muito frequentes no Brasil. Entretanto. Nem sempre isso ocorre simplesmente por causa da maldade no coração do ser humano. Alguns animais acabam sendo sacrificados ou molestados devido a fé em algumas religiões onde as ofertas de sacrifício de sangue são aceitas.

Dentro desse contexto, muitos ativistas se levantam contra esse tipo de prática, bem como a matança em massa de animais para fins alimentícios. Desta forma, recentemente foi a vez de Luisa Mell. A ativista publicou a foto de uma cadela com as orelhas cortadas e sem parte das patas.

“Não tenho palavras, só choro. Em nome de uma religião, de uma crença, em um ritual, esse filhotinho teve as duas patinhas de trás e as orelhas cortadas, lentamente. Conseguimos fazer seu resgate antes de seu ‘sacrifício final’ e ele está conosco agora”, Publicou Mell em seu instagram na legenda da foto.

“Não entendo por que ele tem que pagar com seu corpo, com seu sofrimento, a crença alheia. O que ele fez a esse deus para que lhe causassem tanto sofrimento, tanta dor? Nunca, nunca vou entender. Nunca irei concordar. Minha religião sempre foi e sempre será meus atos. Ele está medicado, vai passar por cirurgia e precisaremos criar próteses para ele”, completou ela.

Entretanto, uma seguidora afirmando ser veterinária afirmou nos comentários que a postagem não passava de uma farsa. De acordo com ela, o animal havia na verdade adquirido trombose após sofrer um atropelamento. Por isso, perdeu as extremidades do corpo.
“A tutora pobre decidiu pedir ajudar e a funcionária da clínica levou (o animal) até você. Não foi um resgate seu. Foi uma ajuda sua!“, denunciou a mulher.

Com isso, Luisa Mell passou a ser acusada de intolerância religiosa. Todavia, não deixou barato e retrucou.

“Eu tenho um posicionamento muito claro, sou contra animais em rituais e na alimentação também”, argumentou. “Sou judia e minha religião também tem coisas que prejudicam animais, continuo sendo contra, acho que as religiões têm que evoluir”, acrescentou a amante de animais.

“Os cortes que ela tem nas orelhas não são cortes de atropelamento, são cortes extremamente precisos, os cortes que ela tem na pata e na ponta do rabinho também”, rebateu ela.

“Estou nessa profissão há sete anos e nunca vi um atropelamento que causasse perda de duas patas, da ponta das orelhas e da ponta do rabinho, sem causar nenhum outro tipo de lesão ou fratura”, finalizou.

Comentários

Paulo Sales Dias

Lucas Mendes é um destacado jornalista especializado no mundo gospel, com mais de uma década de experiência em cobrir eventos e notícias desse segmento. Com um profundo conhecimento da música e cultura gospel, Lucas se dedica a trazer as últimas novidades, entrevistas exclusivas e análises aprofundadas do cenário gospel nacional e internacional. Formado em Comunicação Social com foco em Jornalismo, ele possui uma paixão pela história e evolução da música gospel, contribuindo significativamente para a apreciação e compreensão deste gênero musical. Respeitado por sua integridade e abordagem imparcial, Lucas Mendes é uma referência no jornalismo gospel, sempre buscando destacar as diversas vozes e talentos deste vibrante e inspirador segmento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo