BrasilCantor GospelFamososIgrejaPolêmicas

Morte de Fabiana Anastácio vira alvo de intolerância

Motivo choca web

A cantora Fabiana Anastácio, morreu nessa quinta-feira Aos 45 anos vítima de complicações pela covid 19.

A ministra de Louvor também era pastora juntamente com seu marido Rubens Nascimento na Igreja Assembléia de Deus em Santo André.

Fabiana que tinha hipertensão e diabetes fazia parte do grupo de risco e estava internada duas semanas para se tratar da doença.

Infelizmente por causa de seu peso ela teve complicações para se recuperar e não aguentou.

O que era para ser um sentimento de tristeza, por mais uma vítima de uma doença fatal, que não escolhe cor, peso, classe social, virou motivo de escárnio para alguns.

A intolerância seja ela de qualquer natureza, vem de pessoas vazias que tentam preencher com palavras de ódio e preconceito, usando a internet, como máscara para falarem apenas o que há de mais obscuro dentro de si.

Uma página do Instagram, mostrou vários comentários acerca da morte da cantora, em tom de deboche.

Segundo a página, os mesmos que estavam postando sobre o racismo, agora insultavam a morte de uma cantora Negra, Cristã, que por causa de sua religião, foi rispidamente Deixa respeitada diante de sua morte.


De acordo com esses internautas, por ela ser Cristã, obviamente, deveria ser curada, ou em último caso, ser ressuscitada.

Ainda falaram sobre pastores que cobram por pura mas não conseguem se curar.

A falta de empatia pelo próximo, logo tomou conta dos comentários sobre reportagens falando da morte da cantora e comoção de seus seguidores.

A internet se tornou armadura , que a pessoa veste e acha que pode dizer o que quiser sem mensurar o tamanho do estragado que pode fazer a quem afeta.

Pessoas que não conseguem lidar com o próprio veneno, e ao invés de procurar uma terapia para ficarem saradas de suas mazelas, preferem destilar seu veneno e maldades nas outras pessoas.

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo