Brasil

Parlamentar usa redes sociais para falar da bíblia e vira caso de polícia.

Investigações foram feitas a respeito.

Uma cristã que é inserida na  política da Finlândia foi alvo de críticas  por compartilhar trechos da bíblia no Facebook.

A parlamentar democrata-cristã Päivi Räsänen, convidou a Igreja Luterana Evangélica da Finlândia, que tem a sua participação nos eventos do Orgulho de Helsinque em junho, além disso ela dividiu na internet  uma passagem  do livro de Romanos cap.1 para tanger seu argumento.

“Como o fundamento doutrinário da igreja, a Bíblia, é compatível com o levantamento da vergonha e do pecado como um assunto de orgulho?”, indagou a política.

Como fruto dessa percepção robusta, as autoridades finlandesas solicitaram uma investigação a respeito de Räsänen, que faz parte do Partido Democrata-Cristão e já foi ministra do Interior.

As investigações policiais  não foram finalizadas. A equipe de investigação vai dar mais detalhes, ”quando as buscas de informações das autoridades acabar e forem levadas a um promotor para consideração das acusações. Antes disso, não haverá mais comentários”  disse Pekka Hätönen, oficial encarregado das investigações no Departamento de Polícia de Helsinque, segundo o jornal Helsinki Times .

A polêmica gira em torno da passagem bíblica que era de Romanos 1: 24-27 e diz o seguinte:

“Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro”.

A Advogada e médica a favor  da vida, Räsänen se meteu em outra problema em 2013, quando declarou que seu país estava mais focado com o bem-estar de animais do que com a securidade de bebês ainda não nascidos.

“A lei de proteção animal oferece melhor proteção a um animal prestes a ser abatido do que a lei sobre o aborto a um feto”, afirmou ela durante um trabalho da Igreja Luterana.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo