Notícias

Campanha de Bolsonaro não acarretou disparos no WhatsApp declarou o STF.

O PT moveu uma ação a partir de fake news da Folha de São Paulo, contudo ela foi rejeitada.


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conc
luiu nesta ultima quinta-feira dia 26, que a chapa Jair Bolsonaro (PSL) e Hamilton Mourão (PRTB) não efetuou disparos de mensagens em massa por meio do WhatsApp durante campanha eleitoral do ano passado, 2018.

A ação movida através do Partido dos Trabalhadores (PT) colocou em questão a legitimidade da eleição do atual presidente da República, a partir de “fake news” publicadas pela Folha de São Paulo desde dezembro do ano anterior. Esse documento baseava-se em reportagem publicada por meio da Folha de S. Paulo.

Com isso, se Bolsonaro tivesse sido considerado culpado, seria cassado. No dia 18 de outubro, o jornal fez a publicação de uma reportagem contando que empresários realizaram a compra de pacotes de impulsionamento de disparos em massa por WhatsApp contra o PT. Depois da publicação, os advogados de Fernando Haddad, resolveram pedir ao TSE a abertura de uma AijeAção de Investigação Judicial Eleitoral para fazer a averiguação do suposto abuso de poder econômico e uso impróprio de meios de comunicação pela campanha de Bolsonaro.

Ou seja, a reportagem da Folha acusava a campanha de Bolsonaro de ter feito a contratação de uma empresa para operar o disparo de mensagens em massa, mas o tribunal chegou a conclusão de que não existe “indícios materiais que sustem as dúvidas lançadas” e nem de contratos dos supostos disparos.

Na decisão, o ministro Jorge Mussi, corregedor-geral eleitoral, determinou que o aplicativo, WhatsApp, “não cometeu nenhuma irregularidade”. Bolsonaro se posicionou em relação à decisão através de uma rede social, o Twitter, apontando que a Folha de São Paulo realizou a divulgação das notícias falsas e o PT ajuizou ação no TSE, mas que no fim ele é absolvido.

“COMO FUNCIONA: Folha de SP publica Fake News sobre Bolsonaro, com a matéria o PT a juíza ação no TSE… mas Bolsonaro é absolvido (sic)”, comentou no Twitter.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo