Destaque

Justiça absolve homem acusado de estuprar enteada e MP recorre e consegue condenação de 14 anos

iStock
Juíz achou que era vingança da menina contra padastro

Em maio deste ano, um homem acabou absolvido pelo crime de estupro de vulnerável em julgamento no tribunal da cidade de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande, mas o MPMS (Ministério Público Estadual) entrou com recurso de apelação, o que resultou na condenação a 14 anos de prisão.

Relatos da menina são de que os estupros começaram em 2009, quando em um dia o padrasto teria chegado mais cedo em casa dispensando a babá da menina, sendo que o autor tentou manter conjunção carnal com a criança, que começou a chorar fazendo com que o homem parasse.

Mas, segundo a garota toda vez que ficava sozinha com o padrasto ele tentava abusar dela, sendo que em uma das oportunidades ele manteve conjunção carnal com a vítima e os abusos passaram a ser rotineiros. Ainda segundo o depoimento da menina, que foi ouvida por quatro vezes, ela tinha medo de contar para a mãe sobre os estupros já que o padrasto era bastante violento e fazia ameaças.

A menina teria tomado coragem de contar os abusos a uma amiga da escola, e assim, a mãe acabou sabendo do caso e o homem denunciado. Durante o julgamento, o juiz absolveu o réu alegando que cada vez que a garota contava os fatos o fazia de forma diferente, e que ela demonstrava um grande desejo de punir o padrasto que agredia a mãe da vítima.

Sendo assim, o juiz teria argumentado não achar provas cabais do crime de estupro. Mas, com a apelação do Ministério Público, o homem acabou condenado a 14 anos de prisão em outubro deste ano.”

Dayana Ribeiro da Silva

Dayana Ribeiro Desde menina sempre foi apaixonada por televisão, noveleira assídua desde as tramas alá Maria do Bairro ou intensas como o furacão Carminha. Formada em Publicidade e Propaganda em 2014. Escreve desde que se conhece por gente.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Open chat
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do O Buxixo Gospel.