Geral

Joice afirma que sofreu “estupro moral”, e fala sobre machismo

Meu cassetete não é limitado como o do Bolsonaro' diz Joice Hasselmann em  entrevista - Jornal O Globo

A dois anos atrás, logo depois de ter sido eleita deputada federal por São Paulo com mais de 1 milhão de votos, Joice se tornou a mulher com mais votos para o cargo na história do Brasil.

Joice Hasselmann (PSL-SP), 42, concedeu uma entrevista a Universa em que elevava o Jair Bolsonaro, presidente da República, bem como falava mal do feminismo.

Disse também que seu maior alvo dentro do Congresso seria a esquerda e, mais especificamente, o PT.

Bolsonaro cancela compra de vacina e diz:”ninguém está interessado”

Foi logo depois dos sucessivos ataques que sofreu desde o final do ano passado, assim que rompeu com o governo Bolsonaro, que a deputada afirma ter aprendido algo na pele.

Joice acredita que o machismo e a sororidade, um termo do feminismo que se refere à ajuda mútua entre mulheres, são existentes em nosso meio.

“Eu não percebia que estava sendo tão violentada. Dizia que nunca seria vítima de machismo, que era uma bobagem. […]”

“…Mas realmente existe uma violência de gênero política muito grande com a mulher. Então acabei mordendo a língua. Aprendi da pior forma. O que eu vivi foi um estupro moral”, informou, numa entrevista a Universa, onde expôs que virou a “melhor amiga de infância” de colega deputada aliada ao PT.

Joice inspira internautas a uma boa alimentação

Após ter passado por duas cirurgias minuciosas envolvendo a remoção do útero no início de 2020, Joice se encontrou triste, deprimida e descontando todo o estresse que vivia na comida.

Mourão diz que Estados têm recursos para comprar a vacina

Disse, então, que tomou a decisão de alterar seu estilo de vida. Fez uma conta no Instagram chamada “Bem Estar com Joice”, onde traz dicas de alimentação, embora não tendo formação na área.

“Não estou operando a cabeça de alguém sem ter entrado na faculdade de medicina. Fui atleta, treinava artes marciais, fiz muita musculação, e tive acompanhamento de profissionais, nutrólogos e educadores físicos por mais de dez anos”, esclarece.

Fonte: UOL

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo