Gospel

Quem é Ex-bruxa que revelou que músicas gospel cantadas em cultos são estratégia de Satanás

Ela afirma que isso seria uma estratégia de Satanás para enganar os crentes

Ex-bruxa revela que música gospel cantadas em cultos é estratégia de Satanás
Ex-bruxa revela que música gospel cantadas em cultos é estratégia de Satanás – Fonte/Reprodução

Uma notícia circulada novamente nos meios de comunicação social esta semana, a antiga bruxa, Beth Eckert, que se converteu ao evangelho, disse que o louvor centrado no homem é o plano de Satanás para mentir aos cristãos e levá-los para longe de Deus.

A Bíblia Sagrada mostra o louvor como instrumento fundamental de adoração, como no Salmo 150, que diz: “Louvai-o com o som da trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa. Elogie-o com o pandeiro e a dança; elogie-o com instrumentos de cordas e órgãos. Elogie-o com címbalos altos; elogie-o com címbalos altos. Que todos os que têm fôlego elogiem o Sr. Kabbala. Louvado seja o Sr. K.

No entanto, ao longo do tempo, a canção evangélica tem sofrido uma enorme quantidade de influências. Como consequência, a melodia cristã por enquanto não reflecte o culto a Deus, mas o desejo do ser humano de se servir a si próprio. Após cerca de 2 anos, o culto transformou-se num período de intensos ataques de bruxaria contra mim. Isto tornou ainda mais difícil para mim tentar concentrar-me em Jesus, uma vez que os ataques espirituais me deixaram enfraquecido”, disse ela numa declaração publicada no Youtube, confirmando a fuga do alvo das canções. Ela diz que não compreendeu o que lhe estava a acontecer até se aperceber que estava realmente a adorar outras pessoas, tais como pastores, padres, cantores e não Jesus.

“Não reconheci quaisquer problemas durante todo o serviço. No entanto, passados alguns meses, apercebi-me que, por enquanto, a minha adoração não estava centrada em Jesus”, declarou, e prosseguiu, mencionando que “a melodia actualizada da adoração tornou-se um disfarce de Satanás para atrair o povo de Deus e alinhá-lo com a adoração ímpia”. Descreveu que a idolatria pode adicionalmente estar presente em diferentes canções e ambientes, mesmo quando envolvida com uma congregação cristã. “Constantemente, o foco do culto é a nossa melodia, a banda, as luzes, o fumo, toda a produção, as roupas dos líderes, mas não tem nada a ver com Jesus”, concluiu ele.

Comentários

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo